Início Curiosidades e variedades Homens explicam por que não gostam de chupar buceta

Homens explicam por que não gostam de chupar buceta

22 min read
1
0
6,171

Homens explicam por que não gostam de chupar buceta

Homens que não gostam de chupar buceta

“Eu fazia porque ela me pedia e não sou um babaca egoísta, mas eu não gostava de fazer”, confessa um dos entrevistados.

Em uma reportagem Marina Schnoor do site Vice Channels, fez um inquérito publico tentando descobrir por que tantos homens héteros se orgulham de não chupar buceta. “Achei que encontraria pelo menos um ou dois caras para explicar isso. Mas não foi assim tão fácil: Nenhum rapaz estava disposto a admitir sua aversão oral para mim. Em vez disso, recebi inúmeros e-mail de caras se gabando: se eles fossem o Popeye, buceta seria o espinafre.”

“Joguei a toalha e procurei por esta matéria linkada aqui sexólogos respeitados para ouvir as hipóteses deles. Surpreendentemente, depois que a matéria foi ao ar, recebi uma caralhada de e-mails e tuítes de leitores. “Não chupo buceta”, eles escreveram. “E vou te contar exatamente o porquê, em detalhes.” Então aí vai. As razões “reais” por que homens “reais” não curtem fazer cunilíngua.”


George*, 27 anos

Não acho que tomei a decisão consciente de não fazer sexo oral em mulheres. Tentei com a minha primeira namorada quando comecei minha vida sexual. Mas o lance nunca me atraiu de verdade. Para mim, o principal é que não gosto muito de [receber] sexo oral, então não espero isso das mulheres. Acho até engraçado — a única garota com quem tentei oral regularmente foi minha namorada mais recente, e porque ela realmente gostava de fazer boquete. Ela trouxe o assunto de que eu não chupava ela, e que ela gostaria que eu fizesse isso, e também que nunca pedi que ela me chupasse, o que ela achava estranho. Honestamente, mesmo com ela — e o sexo era ótimo — eu não gostava de chupar. Eu fazia porque ela me pedia e não sou um babaca egoísta, mas eu não gostava de fazer.

Como eu disse, não espero boquete das minhas namoradas. Honestamente, nem curto muito. Não consigo ou não tento ir até o fim; geralmente tiro elas de lá e passo para a penetração. Em termos de garotas que não conseguem gozar só com a penetração, descobri que meus dedos fazem bem o trabalho e que sexo oral não é imperativo. Sendo assim, isso nunca causou tensão com nenhuma das namoradas que tive. Acho que o sexo sempre foi prazeroso, e eu me certificava que elas sentissem o mesmo, mesmo se sexo oral não estivesse envolvido.


Jacob, 31 anos

Desde que me lembro, meus sentidos de paladar e olfato sempre foram peculiares, quase amplificados. Talvez porque passei por quimioterapia quando criança, não tenho certeza. De qualquer maneira, as sensações que são ligeiramente desagradáveis para a maioria são ligeiramente insuportáveis para mim. Já tentei chupar mulheres antes, e foi algo traumático para nós dois — pra mim por causa do nojo, para a parceira, claro, porque ninguém gosta de ouvir que sua genitália é desagradável. Além disso, não gosto de colocar coisas que não sejam comida ou bebida na minha boca, então fluídos corporais estão na minha lista negra de qualquer jeito. É muito melhor pra todo mundo pular essa parte. Acho que não é justo chamar minha relutância de decisão, mas fiz essa descoberta quando tinha 20 anos.

Conheci alguém pelo Tinder uma vez que queria um esquema de “amizade-colorida”, e ela se abriu comigo no que achava que era um grande problema: “Não faço boquete”. Eu, claro, fiquei até aliviado, mas ela me disse que muitos homens tinham parado de falar com ela nesse ponto da conversa. Foda-se! Ela era uma grande parceira, e nos divertimos muito, sem necessidade de oral. Eu nunca “espero” boquete porque não estou disposto a chupar também. Se minha parceira quer [fazer boquete] porque gosta, isso fica por conta dela — não vou reclamar, e vou me limpar bem antes de rolar qualquer coisa. Mas deixo claro desde o começo que não vou retribuir.


Steven, 27 anos

Não chupo mulher por duas razões. Primeiro, não acho vaginas realmente atraentes. Gosto muito do corpo feminino, mas a genitália em si — não curto tanto. Além disso, não curto o cheiro e o gosto. Não ligo muito para isso, mas não acho atraente ou excitante. Nunca entendi por que alguns homens dizem que adoram buceta. Além do mais, tenho muito medo de DSTs. Nunca faço sexo sem camisinha. Pra minha sorte, isso não é um problema porque estou num relacionamento monogâmico desde 2008, e minha namorada não gosta de receber sexo oral. Nesse sentido, sou um cara de sorte. Não vou mentir, adoro boquete; é a melhor coisa. Mas se uma garota diz que não gosta de fazer boquete, aceito de boa porque não quero ser hipócrita.

Homens explicam por que não gostam de chupar buceta

Kent, 34 anos

Comecei a sair com uma garota que trabalhava no Hooters e tinha vários problemas. Naquele ponto, eu já não ligava tanto para oral; eu preferia fazer só penetração mesmo. Ela me largou depois de dois anos e fiquei acabado. Afoguei as mágoas no álcool. Durante esse período, eu era um puto. E de jeito nenhum eu ia chupar uma garota que conheci no bar. Eu não tinha como saber por onde ela andou, e não existe camisinha para a língua ou boca. Eu ficava satisfeito só com o sexo, e sempre usava proteção. Justifico minha falta de disposição em chupar buceta porque acho que isso é igual a colocar a boca numa privada. As pessoas defecam por essa parte, e acho que minha boca não tem nada o que fazer ali.

Provavelmente passei uns dez anos sem chupar uma garota. Não me entenda mal — eu sei o que o suor e outros químicos fazem, mas algumas minas têm a morte saindo das partes na forma de um eflúvio rançoso. Meus amigos me convenceram de que eu tinha que superar meus pensamentos de que estava lambendo uma privada e simplesmente fazê-lo. Estou saindo com essa garota faz quase um mês, e chupo a buceta dela regularmente. A vida é uma questão de sacrifícios, e felizmente para mim, ela só tem gosto de pele. Nenhum cheiro horrível, só cheiros normais.


Andrew

A ideia de oral não é minha praia. A única vez que penso em fazer é quando imagino alguma modelo aleatória. Mas sou um feminista, como espero que a maioria das pessoas sejam hoje em dia — e isso obviamente significa direitos iguais para as mulheres. Também acredito muito na ideia que apenas coisas que trazem felicidade a longo prazo ajudam os outros. Já tive discussões abertas com amigos sobre chupar buceta; um deles, que adora, sempre diz que a melhor coisa do mundo é quando ele está chupando uma garota e ela arqueia as costas na cama. Ele descreve isso como o oposto de quando um gato levanta as costas.

Acho que você pode comparar isso com algo que me deu uma ideia estranha de masculinidade. Tive um incidente com um cara um tempo atrás; e ele tinha socado um sujeito e o mandado para o hospital. Apesar de não ter grandes ideias sobre minhas habilidades de luta, a única coisa que me separa dos meus colegas é que fiz boxe por um ano com um amigo do meu pai. Frequentei uma escola pública em Queensland [Austrália] por quatro anos, em que aprendi que havia dois tipos de valentões: os que só fazem isso quando estão com os amigos, e aqueles que realmente confiam no seu taco.

Bom, voltando à minha interação com aquele cara: eu já tinha visto ele duas vezes antes. Na primeira, ele estava num pub com uns dez amigos. Em vez de não fazer contato visual, como meus amigos de escola, nossos olhos acabaram se encontrando — naturalmente, sem evitar o olhar. Também sorri e ri sem motivo quando estava passando por eles, porque sei que as pessoas têm medo de gente que é um pouco louca — e eu sei que sou. Aí, quando o vi pela segunda vez — desta vez com um amigo só — novamente não evitei passar por eles quando precisava, olhando para ele mas sem provocar diretamente.

Finalmente, eu estava num pub local, e ele estava com aquele mesmo amigo. Ele veio até a nossa mesa de sinuca e pegou/pediu um taco do meu amigo. Ele não se dirigiu diretamente a nenhum de nós, depois foi embora. Uns 15 minutos depois, ele e o amigo dele estavam descendo pelo corredor. Eu estava sozinho vindo na direção oposta. Olhei para eles direitamente — ando como um cara 30 quilos mais pesado [que eu] de qualquer maneira, e essa situação não me preocupava. Não me entenda mal — se eu estivesse num beco escuro e aparecessem dois caras, eu pularia a cerca, mas imagino que não apanharia tanto assim. Não mudei meu ritmo nem nada, e quando eu estava a uns dez metros deles, o cara desviou para a área de fumantes sem aviso, deixando o amigo dele com cara de idiota ao passar por mim.

Isso me deu uma sensação de macheza, mesmo percebendo que é uma coisa idiota. Depois que contei isso para os meus amigos, o cara que adora chupar buceta recontou a história de como ele fez a garota arquear as costas na cama.

Esse tipo de coisa me faz perceber algo sobre mim mesmo. Conheço muita gente que não sabe que é idiota, então acaba se tornando mais idiota ainda. Esse é o último tipo de pessoa que quero ser. Se não posso ser honesto comigo mesmo, com quem vou ser? Por isso que essa coisa de chupar buceta me interessa. Acho que todo mundo tem que tentar confiar em si mesmo, mas mesmo nunca tendo apanhado nem nada assim, nas raras ocasiões que entro numa briga, isso me perturba, mesmo quando a pessoa só fica lá socando aleatoriamente. Você ficaria surpresa como muitos caras surtam quando você acerta um bom soco neles.

Mas pensando bem nisso, acho que levar um soco na cabeça te dá um senso saudável de humildade e confiança. Então me incomoda que, quando penso em chupar buceta, tenho uma resposta emocional a isso. Não sou contra ou contra as pessoas que fazem, mas escrever isso assim colocou em perspectiva como é bobo não fazer. Não é outro nível de transa, eu sei. [Escrever isso] me fez querer me colocar no calor do momento com uma garota, para ver se eu faria isso ou como eu me sentiria. Quando ficava em pé na frente da classe toda eu ficava nervoso, e mais tarde me obriguei a fazer discursos, até pelo máximo de tempo possível, o que não é normal para mim. (Eu era muito preguiçoso no colégio.) Foi a mesma coisa com brigas — por isso o treinamento de boxe. Ainda fico nervoso antes de falar em público ou brigar, mas acho que como já passei por isso antes, me sinto bem mais calmo agora.

Então talvez eu faça a mesma coisa — me colocar no calor do momento e ver como me sinto. Imaginar o público pelado sempre ajuda em qualquer situação.
Fonte: VICE Brasil


Veja também:

Chupar buceta faz bem a saúde, diz estudo

7 motivos pelos quais amamos chupar bucetas

Homem não gosta de mulher, gosta de buceta

Os 10 mandamentos do sexo oral feminino

Como fazer sexo oral na sua parceira corretamente

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais em Curiosidades e variedades

Comente pelo Facebook:

Ou use nosso sistema de comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também:

Atrizes de filmes de super-herói sem um pingo de maquiagem

Atrizes de filmes de super-herói sem um pingo de maquiagem Nos filmes de super-herói, as p…